sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

BELEZA ADORMECIDA - SLEEPING BEAUTY


NOTA: 6.
- Não faça desse trabalho sua principal fonte de renda.

Emily Browning já tinha servido de fetiche no filme Sucker Punch - mundo surreal e volta a fazer o mesmo tipo de papel ainda que num tipo de filme totalmente diferente. Ela é Lucy, uma estudante universitária que vive sem dinheiro e está sempre entediada. Para continuar nos seus estudos, ela trabalha num escritório fazendo e organizando cópias de documentos, trabalha num restaurante e ainda serve de cobaia em algum tipo de experimento. E mesmo assim paga seu aluguel com atraso.
Para se divertir, ela sai para bares e mantém relações sexuais da maneira menos romântica possível. Parece que nada a interessa além do sexo e ela parece disposta a ter uma relação com qualquer pessoa que sente ao seu lado e fale qualquer tipo de besteira. Na verdade, ela passa a maior parte do filme sem sequer parecer que tem sentimentos, a não ser em breves momentos (e mesmo assim de forma meio doentia) com um amigo chamado Birdiemann.
Para aumentar a renda, ela responde a um anúncio e ingressa em um lucrativo e estranho negócio sexual. Ela não mantém relações sexuais com os clientes, mas o seu trabalho consiste em servir velhos ricos num jantar vestindo apenas suas roupas de baixo. Sua chefe lhe diz para não fazer disso sua ocupação principal, mas ela acaba querendo mais dinheiro e vira a tal "bela adormecida" do filme. Basicamente, ela é drogada para entrar em um estado parecido com um coma e fica na cama com os velhos ricos. Eles são instruídos a não penetrarem ou marcarem a moça, mas se ninguém fica a os vigiar, como saber o que realmente pode acontecer dentro do quarto?
O filme marca e estreia da romancista Julian Leigh na direção de filmes. Não sei quais eram as expectativas em cima de seu trabalho, mas posso dizer que fiquei um tanto quanto frustrado. O filme perde muito tempo com penteados, maquiagens e manicures ao invés de procurar alguma coisa realmente interessante para filmar. Em vários momentos, ao invés de procurar fluir, ele fica tão estático quanto sua câmera. Nenhum dos dois se movimenta para algum lugar e o meu interesse foi diminuindo cada vez mais.
Emily Browning pouco acrescenta ao filme. Dizem que Leigh pediu para ela assistir Anticristo para se inspirar na atuação de Charlotte Gainsbourg. Apesar de odiar o filme, devo reconhecer que a atuação dela no filme é ótima. Seja lá o que Browning esteja fazendo nesse filme, não é sequer parecido. Sua Lucy é tão apática que não desperta qualquer interesse. Depois de certo tempo, começo a não me importar com o que vai acontecer com a sua personagem.
E é uma pena, pois esses detalhes vão enfraquecendo o filme. A temática podia ser melhor explorada assim como a própria personagem. E no final o que sobra acaba sendo câmera que sequer acompanha os fetiches do filme.

2 comentários:

  1. nao sei como o povo perde tempo assitindo uma porcaria dessas eu assistir e odiei foi um dos filmes piores que ja assistir em toda minha vida nao sei como uma pessoa perde tempo gravando isso se eu soubesse que era tao ruim nem teria assistido nao da pra entender nada e o final nem vou comentar da proxima ves ve se faz uma coisinha descente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho que funcione assim.
      Talvez alguém pudesse falar exatamente a mesma coisa dos filmes que você assiste.
      É uma questão de gosto: alguns gostam de algumas coisas, outros de uma coisa totalmente diferente.
      O que é mais importante é sabermos que existem filmes para todos os tipos de gosto, e procurarmos aquilo que achamos que vamos gostar ou não.

      Abraços.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...