sexta-feira, 17 de setembro de 2010

ESPECIAL GODARD: WEEKEND - 200ª POSTAGEM


NOTA: 100.
Corinne - Você não ouviu o que ele disse? Marx disse que somos todos irmãos.
Roland - Marx não disse isso. Foi outro comunista quem disse. Jesus disse isso.
Chegamos a postagem de número 200 e a última resenha do especial sobre Godard. Desde sua estréia em Acossado até este filme, em 1968, Godard sempre procurou formas de surpreender a platéia. Aqui não foi diferente, basta dar uma olhada na foto escolhida para ter uma idéia. Esta é uma das imagens surpreendentes que o diretor colocou que vai surpreender, e em alguns casos chocar, a platéia. Os fãs de David Lynch devem assistir a esse filme antes de chamá-lo de inovador.
Basicamente o filme conta a história de um casal. Eles planejaram um acidente de carro para que o pai da moça morra e eles fiquem com a herança. Pouco a pouco, o diretor vai colocando cenas para preparar o terreno para o que está por vir. Um acidente de carro acaba com o espancamento de um homem, depois, o próprio herói do filme, Roland, tenta fugir de um acidente que cometeu, a cena segue com ele jogando tinta em uma mulher enquanto esta lança bolas de tênis contra ele usando uma raquete.
Se o filme já parece estranho, depois só piora (ou melhora, dependendo do ponto de vista), e as cenas vão ficando cada vez mais desconexas. Os personagens tem plena consciência de que estão em um filme. Um chega a afirmar que é um filme ruim onde só tem gente estranha. Em uma outra cena, Roland toca fogo em uma personagem que parece ter saído de uma viagem lisérgica de Lewis Caroll. "Ela é só um personagem" ele responde quando a mulher diz que são pessoas terríveis.
Até que chegamos em uma das cenas mais emblemáticas da carreira de Godard: os dois estão presos em um engarrafamento enorme. A câmera acompanha em um travelling enquanto o casal vai avançando na contra mão para fugir do engarrafamento. A câmera deve acompanhar o carro por cerca de um quilômetro ou mais enquanto o carro deles passam pelas pessoas e até mesmo um carro de zoológico. Depois disso eles abandonam o carro e seguem sua jornada a pé, onde encontram até mesmo um bando canibal.
Falar mais sobre o filme pode estragar a surpresa. Ou até mesmo cair no erro de tentar explicar o que não pode ser explicado. Este pode ser um dos melhores filmes do diretor e com certeza o mais inventivo, deixando para trás até mesmo O demônio das 11 horas. Ele nos envolve num cenário de loucuras que começa a parecer totalmente normal nesse maravilhoso mundo que ele criou. E tal qual os personagens agem perante a desgraça dentro do filme, tudo que fazemos é assistir.

4 comentários:

  1. pergunta complicada, mas, eu não encontro esse filme em nenhum lugar... Onde eu poderia conseguir?

    ResponderExcluir
  2. Filmes do Godard, sem contar os mais famosos, são bem difíceis de encontrar. Principalmente por eu ser do RJ. Aqui, em Botafogo, tem uma locadora que é mais difícil de não ter o filme. Aí na sua cidade eu não sei.

    Não sou a favor da pirataria, mas como esse é um filme realmente complicado de achar, você pode tentar encontrá-lo em btjunkie.org.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Valeu pela dica! Vou ver se encontro...

    ResponderExcluir
  4. Procura por Weekend E Godard.
    Só weekend vai aparecer muitos outros resultados.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...