sexta-feira, 21 de setembro de 2012

TED


NOTA: 8.
- Emergência? Um cara acabou de roubar meu ursinho.

Incrivelmente, um dos personagens mais engraçados que vi este ano é um ursinho de pelúcia chamado Ted. A história da amizade do urso de pelúcia com um homem de 35 anos de idade realmente me surpreendeu. Não estava esperando que um filme como esse, que nem me atraía tanto, fosse me agradar tanto e que me fizesse rir tanto.
O início do filme mostra a origem de Ted. John Bennett (Mark Whalberg) é o garoto mais impopular do bairro. Ele é tão mal visto pelos outros garotos, que mesmo o garoto judeu que está sendo espancado faz questão de apanhar sozinho do que ter sua companhia. De natal, ele ganha um urso de pelúcia e faz um desejo para que o urso ganhe vida e se torne seu amigo para sempre. O desejo é realizado, o urso ganha vida e concorda em ser amigo do garoto.
O fato de poder andar e falar faz com que ele vire uma celebridade instantânea na TV. Ele aparece em talk shows, incluindo The Carson Show, dando entrevistas e aproveitando a fama. Eventualmente, ele deixa de ser uma novidade e vai desaparecendo da mídia. Como o narrador explica, seu nome vai desaparendo como Corey Feldman (que ficou conhecido nos anos 1980 com filmes como Os goonies, Garotos perdidos, Conta comigo, entre outros filmes de sucesso). Depois da fama, ele vira colega de quarto de John para o resto da vida.
Os anos passam e pulamos para os 35 anos de John, que trabalha como balconista de uma loja de aluguel de carros. Ted está um pouco gasto por causa do tempo. Apesar das poucas perspectivas de ter sucesso na vida, John consegue namorar Lori (Mila Kunis), uma mulher bem sucedida que espera já há quatro anos por um pedido de casamento que nunca chega. Talvez pela resistência de John de crescer ou até mesmo porque os dois vivem constantemente bêbados ou se drogando.
A maior parte da diversão do filme está em Ted. Seus diálogos são sempre ácidos e ele tem uma habilidade impressionante de insultar qualquer pessoa que chegue perto dele. Não parece haver uma forma de Ted, John e Lori permanecerem juntos. John parece ter que escolher entre sua amizade de infância, que segundo lhe dizem o impede de querer crescer, e o amor da sua vida. Há também uma história paralela com um pai muito esquisito (Giovani Ribisi) que quer comprar o urso para o seu filho.
Ted não é para crianças. Nos EUA recebeu classificação R, a mais restrita de todas. Não é apenas pelo humor ácido, mas o filme só não tem mais conotações sexuais e uso de drogas porque não caberia em sua duração. Uma vantagem de ter um urso como personagem principal, é que parece que não há nada que ele não possa falar. Não soa estranho que seja "permitido" falar as coisas que ele fala. Não é como se fosse uma pessoa falando. E quando começa, não parece querer acabar nunca. É o urso a verdadeira razão de assistir a esse filme, e eu acho que pode valer muito a pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...